REDE ESTADUAL SAÚDE ESCOLA (RESE)

A Rede Estadual Saúde Escola (RESE) é uma estratégia de gestão da educação na saúde, com o objetivo integrar, alinhar e transformar todos serviços sanitários, assim como os órgãos de gestão e participação social do Sistema Único de Saúde no Ceará (SUS/CE) em espaços de formação e desenvolvimento profissional, implicados com a qualidade da atenção e coordenação do sistema de saúde.

A Rede Estadual Saúde Escola (RESE) é coordenada pela Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, por meio da Coordenadoria da Política de Educação Permanente e Pesquisa em Saúde (COEPS).

A Rede Estadual Saúde Escola (RESE) conta com as Comissões de Integração Ensino-Serviço como espaço de articulação, discussão e pactuação das necessidades de formação, qualificação e desenvolvimento de ações correlatas nas regiões de Saúde.

A Rede Estadual Saúde Escola possui como lócus institucional os Núcleos de Educação de Permanente em Saúde nos municípios e sedes das regiões de saúde e os Centros de Estudos e/ou Núcleos de Educação Permanente em Saúde dos serviços sanitários, órgãos de gestão e de participação social;

Os Núcleos de Educação Permanente em Saúde nos municípios (NUMEPS) e os Núcleos de Educação Permanente em Saúde nas regiões de saúde (NUREPS) devem ser compostos por profissionais indicados pela gestão local para trabalhar como articuladores, assessores e secretários. Sua atuação deve ser articulada às Comissões de Integração Ensino-Serviço (CIES) e visando as necessidades de qualificação, ensino e pesquisa nos municípios e/ou regiões de saúde para o cuidado com a população.

 

REDE ESTADUAL DE SAÚDE

Rede da Secretaria da Saúde do Ceará (SESA)

A Secretaria da Saúde do Ceará (SESA) é um órgão da administração direta do governo estadual, que coordena e dirige as atividades de assistência à saúde e prestação de serviços na área médica e hospitalar em todo o Estado.

A atenção primária é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). É constituído pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Agentes Comunitários de Saúde (ACSs), Estratégia de Saúde da Família (ESF) e Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), com ações voltadas à redução do risco de doenças e à proteção da saúde em caráter preventivo.

A partir do primeiro atendimento, o cidadão é encaminhado para outros serviços de maior complexidade da saúde pública, como hospitais e clínicas especializadas. Os profissionais de saúde que atuam na atenção secundária são preparados para realizar tratamentos de complexidade média, incluindo ocorrências que envolvem doenças crônicas ou agudas.

A rede da SESA tem 13 hospitais, sendo nove em Fortaleza e quatro no Interior. Na Capital, são dois de nível secundário, com atendimento especializado e de média complexidade: Hospital e Maternidade José Martiniano de Alencar (HMJMA) e Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara (HGWA).

Os atendimentos de alta complexidade são formados por hospitais de grande porte. Os procedimentos demandam tecnologia de ponta e custos maiores, como os casos oncológicos, de transplantes e partos de alto risco. Neste nível, os especialistas estão aptos a tratar casos que não puderam ser atendidos na atenção secundária.

O Estado possui sete hospitais de nível terciário. São eles: Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Hospital Geral Dr. César Cals (HGCC), Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ), Hospital de Messejana Dr. Alberto Studart Gomes (HM), Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSMM) e Hospital Estadual Leonardo Da Vinci (Helv).

Conheça a estrutura da Rede SESA. Clique aqui.

 

Unidades de Pronto Atendimento

As Unidades de Pronto Atendimento (UPA) funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana e fazem parte da Rede de Atenção às Urgências. O objetivo é concentrar os atendimentos de saúde de complexidade intermediária compondo uma rede organizada em conjunto com a atenção básica, atenção hospitalar, atenção domiciliar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Seis UPAs em Fortaleza pertencem à Rede Sesa e são administradas pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) nos seguintes bairros: Autran Nunes, Canindezinho, Conjunto Ceará, José Walter, Messejana e Praia do Futuro.

Confira aqui o endereço e telefone das UPAs.

 

Hospitais polo e estratégico

A Política Estadual de Incentivo Hospitalar, coordenada pela Sesa tem o objetivo de facilitar o acesso da população aos serviços hospitalares por meio do aumento no repasse de verba estadual na área da saúde. São 85 hospitais públicos e filantrópicos que recebem este apoio em 53 municípios.

A medida tem como diretrizes o cuidado integral ao cidadão, participação da comunidade e na garantia do direito a todos; e a busca por boas práticas nos serviços de saúde, qualidade e segurança do paciente e dos trabalhadores.

A metodologia de análise é realizada por meio do rol de procedimentos de média complexidade por clínica aprovada na Política Estadual de Incentivo Hospitalar para unidades regionais. É feito, ainda, um levantamento da produção, da Taxa de Ocupação Hospitalar (TOH) e de outros indicadores hospitalares por clínicas.

Confira a lista das unidades beneficiadas.

 

Serviços especiais

A Rede Sesa presta apoio em caráter complementar na execução das ações e serviços de saúde específicos para o atendimento à pessoa que, em razão do agravo, necessite de assistência especial. São eles:

– Casa de Cuidados do Ceará: o local oferece reabilitação humanizada e multidisciplinar aos residentes do Estado em recuperação após alta hospitalar de outros diagnósticos, bem como atuar na desospitalização de quem está sob cuidados prolongados.
Saiba mais: https://www.isgh.org.br/casa-de-cuidados-do-ceara/

– Centro de Referência Nacional em Dermatologia Sanitária Dona Libânia: a unidade é referência no Ceará para doenças dermatológicas, além de ser parâmetro nacional do Ministério da Saúde para hanseníase.
Saiba mais: https://www.saude.ce.gov.br/donalibania/

– Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão (CIDH): é referência de nível secundário no atendimento a pessoas com diabetes e hipertensão arterial no Estado, com atenção centrada no usuário, atendimento humanizado e qualificação técnico-científica profissional.
Saiba mais: https://www.saude.ce.gov.br/cidh/

– Instituto de Prevenção do Câncer do Ceará (IPC): é referência secundária para o diagnóstico e tratamento precoce de lesões precursoras do câncer do colo do útero e mama, e também referência para os municípios cearenses na condução das políticas de controle desses cânceres.
Saiba mais: https://www.saude.ce.gov.br/ipc/

– Programa de Atenção à Saúde da Pessoa Ostomizada (Paspo): o serviço atende pacientes ostomizados (que utilizam bolsas coletoras intestinais e urinárias) de Fortaleza e do Interior. O atendimento funciona na Policlínica Dr. Luiz Carlos Fontenele, no bairro Passaré, na Capital. Para se cadastrar ou ser atendido pelo Paspo, o paciente deve agendar uma avaliação pelo telefone (85) 98406-9487.

– Programa de Alergia à Proteína do Leite de Vaca: o programa atende crianças com alergia à proteína do leite de vaca (APLV). Moradores do interior do Estado devem ir a um posto de saúde ou a um hospital do município e quem reside em Fortaleza também deve procurar uma unidade básica, onde será realizada a solicitação do agendamento pela Central de Regulação. Para ser atendido pelo APLV, o paciente deve agendar uma avaliação pelo telefone (85) 9989-0562 ou pelo e-mail: aplv@saude.ce.gov.br.

 

Serviços de Apoio

A rede de assistência da Sesa também presta serviços de apoio, garantindo à população atendimento a hemorrede estadual, unidade laboratorial, serviços de verificação de óbito e assistência móvel de urgências.

– Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce): equipamento vinculado à Sesa e constitui a hemorrede pública estadual com serviços e atendimento de hemoterapia e hematologia, diagnóstico clínico e transplantes como suporte ao sistema de saúde.
Saiba mais: https://www.hemoce.ce.gov.br/

– Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen): unidade laboratorial de referência do Ceará, fortalecendo as ações de vigilância em saúde e a assistência individual de alta complexidade, com acessibilidade em todo o Estado. Realiza análises para o diagnóstico laboratorial de doenças de notificação compulsória e outros agravos, também faz análises para o controle de qualidade de produtos e coordena a Rede Estadual de Laboratórios de Saúde Pública.
Saiba mais: https://www.saude.ce.gov.br/lacen/

– Serviço de Verificação de Óbito (SVO): é uma unidade pertencente à Sesa e vinculada à Vigilância em Saúde. A instituição foi inaugurada em maio de 2005 para esclarecimento das causas dos óbitos de morte natural em situações em que não houve assistência médica ou sem elucidação diagnóstica, mesmo com assistência médica.
Saiba mais: https://www.saude.ce.gov.br/svo/

– Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU): é um programa de assistência pré-hospitalar, cujo principal objetivo é a prestação de serviço de atendimento à saúde de caráter emergencial e urgente. O Samu 192 Ceará cobre 100% dos municípios cearenses.
Telefone: 192

 

Policlínicas

Unidade ambulatorial de alta resolutividade em consultas médicas, cirurgias ambulatoriais e serviço de apoio e diagnóstico para diferentes especialidades médicas, aptos a realizar procedimentos de média complexidade. São 22 policlínicas que atendem às cinco Regiões de Saúde do Estado (Fortaleza, Sobral, Sertão Central, Litoral Leste/Jaguaribe e Cariri).

Clique aqui e saiba mais sobre endereço e telefone das Policlínicas no Ceará.

 

Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs)

São unidades de referência para as Equipes de Saúde Bucal (ESB) e ofertam, de acordo com a realidade epidemiológica de cada região, procedimentos clínicos odontológicos de ortodontia, periodontia, endodontia e até o diagnóstico de câncer de boca. São 22 CEOs regionais construídos pelo Governo do Ceará, além de três CEOs na Capital, sob gestão da Sesa.

Clique aqui e saiba mais sobre endereço e telefone dos CEOs no Ceará.

 

Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH)

O Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH) é uma instituição privada sem fins lucrativos que atua no segmento de gestão em saúde. Fundado em 11 de julho de 2002, é a primeira instituição no Estado do Ceará a ser qualificada como Organização Social de Saúde (OSS), pelo Decreto nº 26.811, de 30 de outubro de 2002.

Tal pioneirismo traz consigo uma imensa responsabilidade: ajudar a definir um modelo associado à qualidade e resolutividade no âmbito da atenção em saúde pública. Para a concretização desse anseio, o Governo do Estado firmou contratos de gestão que, inovou, exigindo um elenco de compromissos como o bom atendimento, a segurança dos processos assistenciais e a melhoria contínua das ações implementadas.

Com a missão de promover a excelência na gestão de saúde, o ISGH gere seis hospitais: Hospital Geral Dr. Waldemar de Alcântara, Hospital Regional do Cariri, Hospital Regional do Norte, Hospital Regional do Sertão Central, Hospital Estadual Leonardo da Vinci, Hospital Regional Vale do Jaguaribe; nove UPAs (sendo seis do Governo do Estado do Ceará e três da Prefeitura Municipal de Fortaleza), Unidades de Atenção Primária (UAPS) e Unidade de Atenção Psicossocial (CAPS).

O ISGH também possui o Laboratório de Análises Clínicas Primilab, com o propósito de atender à demanda de exames das Unidades de Atenção Primária à Saúde do município de Fortaleza (UAPS); a Casa de Cuidados do Ceará, para atuar na desospitalização de quem está sob cuidados prolongados com adaptação a sequelas decorrentes de outras condições; e por fim, a Escola de Saúde e Gestão (ESG) com objetivo de promover a aprendizagem e compartilhar experiências no cuidado e na gestão em saúde.

Clique aqui e conheça o ISGH.

 

Fundação Regional de Saúde

A Fundação Regional de Saúde (Funsaúde) é uma entidade pública de direito privado, instituída em setembro de 2020, com o propósito de dar mais eficiência e qualidade à assistência pública em saúde no Estado.

Sob a coordenação da Sesa, a Funsaúde presta serviços de saúde à população em todos os níveis de complexidade; desenvolve programas de educação permanente para os profissionais do SUS; desenvolve atividades de caráter científico e tecnológico, produtos, serviços e processos inovadores na área da saúde; além de apoiar os municípios na execução dos serviços regionais de saúde e a Comissão Intergestores Regional em sua governança interfederativa.

A Secretaria da Saúde funcionará como autoridade regulatória e contará com agências regionais de saúde, que auxiliarão nas atividades técnico-administrativas necessárias para a garantia de serviços à população.

A Funsaúde também assume a gestão de unidades que atualmente são administradas de forma direta, tendo como base quatro pilares: a valorização dos profissionais, a eficiência administrativa e financeira, um modelo de assistência mais humanizado, o estímulo à inovação e pesquisa em saúde.

Acesse o site conheça mais sobre a instituição.